Vanessa pelo Mundo: Barcelona #1

Vanessa pelo Mundo: Barcelona #1

Barcelona!
Such a beautiful horizon
Barcelona!
Like a jewel in the sun

Este pequeno excerto da música do fabuloso Freddie Mercury serve para introduzir uma cidade que a mi me encanta, Barcelona.

Este é daqueles destinos que tem crescido em número de turistas a uma velocidade galopante, e que se torna cada vez mais paragem obrigatória, não só a quem gosta de viajar, mas também a todos os amantes de arte.

No meu caso a visita foi de dois dias inteiros, mas esta é uma cidade que se formos uma semana, há sempre algo a fazer. Se estiverem a pensar ir a Barcelona estejam atentos às promoções da Ryanair (a partir do Porto), mas também da Iberia que faz bons preços para quem quer partir de Lisboa. Esta é uma das viagens que com um orçamento apertado é possível de fazer. Facilmente – em época baixa – encontramos voos ida e volta por 30€-40€, e como há imensa oferta em relação a alojamento, por 50€ por noite é possível conseguir um quarto para duas pessoas, no centro da cidade.

Esta foi uma viagem a dois – com o meu namorado – e de dois dias inteiros porque o voo Porto – Barcelona chegou às 9:20 (hora local) e o regresso estava marcado para o dia seguinte às 22:20. Chegamos a Barcelona… e agora?! Estejam atentos que existirá uma rubrica destinada a ajudar-vos a ir dos aeroportos até ao centro das cidades, o que para muitas pessoas é uma dor de cabeça.

Quando chegámos à Praça de Espanha fomos ao metro trocar os bilhetes digitais pelos reais. A troca é muito simples, é só aproximar o código de barras e recebemos os bilhetes. Optámos por comprar o bilhete de 2 dias, que permite usar todos os transportes, as vezes que quisermos. Como tínhamos um itinerário cheio de coisas para ver, consideramos ser o mais apropriado. A minha sugestão é que façam uma estimativa das viagens que vão usar e vejam se vos compensa mais comprar bilhete diário ou o T10 (10 viagens). O preçário e informações úteis estão disponíveis em http://www.tmb.cat/es/home.

Da manhã passeamos pelo Arc de Triomf, a Plaça de Catalunya, o Palau de la Musica Catalana, o Parc de la Ciutadella e a Sagrada Família. Até à Sagrada Família são locais que se fazem facilmente a andar, e recomendo que vejam o Palau de la Musica Catalana! Na Sagrada Família podem visitar por dentro, que é lindíssimo, ou apenas por fora, onde têm um deslumbre da grandeza daquela obra eternamente inacabada. Se quiserem visitar por dentro, recomendo que comprem os bilhetes online, pois mesmo sendo Janeiro, as filas para comprar bilhetes e entrar eram grandes!

Barcelona consegue ser tudo aquilo que um turista procura, tem bom tempo, bons espaços culturais, boa comida e pessoas afáveis. O melhor de tudo é que, para nós portugueses, está aqui tão perto.

Terminado na Sagrada Família, foi tempo de ir fazer o Passeig de Gràcia onde vimos as casas mais conhecidas de Barcelona. Para mim, é de passagem obrigatória: a Casa Milá, a Casa Batlló, a Casa Amatller e a Casa Lleó Morera.

Almoçámos no Nostrum, um restaurante de comida rápida, mas com várias opções como saladas frias e quentes, massas, baguetes, croquetes, pizzas, etc. Pedimos para levar e sentámo-nos num banquinho a ver as pessoas passar e a apanhar sol.

Continuámos para o Parc Güell e se estão a pensar vir aqui têm duas opções ou vão de metro e têm uma subida de 10 minutos à vossa espera, ou vão de autocarro (recomendo o 92) e saem próximos de uma das entradas. O que nós fizemos foi ir de autocarro até essa entrada, visitámos os jardins e depois fomos à zona monumental (paga). O bilhete custa 8€ (7€ se forem comprados online) e tem hora marcada. No caso de época baixa, isto é apenas usado para controlo, mas em época alta, pode significar esperarem algumas horas até conseguirem entrar. Eles têm este sistema porque apenas é permitido a venda de 400 bilhetes a cada 30 minutos, impedindo que o espaço fique lotado. Assim, no caso de o vosso bilhete dizer “Horário: 16:30 – 17:00”, vocês têm que entrar nesse espaço temporal, mas depois não têm qualquer limite de tempo para estarem na zona. Apesar do preço, recomendo que o visitem porque além das vistas sobre a cidade que têm, as obras são fenomenais. Se o vosso orçamento for apertado, tenho uma sugestão, usem a visita de 15 min, onde permitem que as pessoas entrem de forma gratuita às 18:15 e que possam ficar apenas até às 18:30.

No regresso optámos por ir a pé até à estação de metro, pois nas redondezas do Parc Güell há imensas lojas com recuerdos que valem a pena visitar. Já com alguns km nos pés, fomos até ao Mercado de St. Joseph – Boqueria, onde comemos algumas frutas deliciosas. É uma boa forma de provarem frutas que habitualmente não comemos, como a pitaya ou o kumquat. Passeámos na zona das Ramblas, cheia de pessoas e animação, mesmo sendo Janeiro e estar frio! Se ainda não compraram presentinhos para levar, é uma boa opção! Descemos até ao Mirador de Colom, e vimos um pouco da zona em redor. Como já era de noite optamos por não subir até ao topo, mas quem o quiser fazer é possível (6€).

O local onde fomos a seguir é cada vez mais conhecido por turistas, e vale muito a visita. Chama-se El Bosc de les Fades e é um bar que tem toda a decoração como se estivéssemos no meio de um bosque com fadas e num mundo imaginário. Tudo a média luz, com os cenários brilhantemente montados, e onde até os sons relembram de uma noite na natureza. Se forem até lá, digam-me o que acharam. 🙂

Para o jantar estava reservado aquela que foi a melhor refeição da viagem – fomos ao restaurante mexicano Rosa Negra (Via Laetana, 46). O espaço é muito giro, o staff super simpático e a comida, senhores, a comida é deliciosa! Se gostarem de comida mexicana e tiverem oportunidade, visitem! Podem ver o menu aqui: http://www.rosanegrabcn.com/RN-via-layetana-cast6.pdf. Recomendo as Frozen Margaritas e as Enchiladas Tapatías (verdes).

 

Foto: Instragram @rosanegrabcn

 

Depois do jantar fomos passear na zona da Catedral de Barcelona e vimos um pouco da vida noturna da cidade. Fiquem atentos que ainda há muito mais para contar sobre esta cidade encantadora.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *